Sobre o autor e o blog

Eu gostaria realmente de falar de mim, mas como eu iria falar muito, mas muito bem, prefiro que vocês, meus leitores me digam quem eu sou, sob sua perspectiva.

Mas e o blog? Bem, este blog me servirá de canal exponenciador de expressões externadas. Pra vocês, servirá de canal receptor de idéias e confrontos formadores de opiniões. Traduzindo: o que me der vontade pra escrever(sobre todo e qualquer tema), aqui postarei, e vocês poderão aprender algumas coisas, ou discutir e me ensinarem outras.

3 comentários em “Sobre o autor e o blog”

  1. Evandro, gostei deste blog e realmente concordei com o que foi escrito sobre os Fariseus do séc. XXI. Gostaria de saber sua opinião sobre mulheres que pregam e pastoras.

    A Paz de Deus por parte de nosso Senhor Jesus Cristo seja contigo!

    1. Olá Allan Severiano. Primeiro quero agradecer por seu comentário. Segundo, gostaria de me desculpar por ter demorado bastanta a te responder.

      Bem, na minha opinião, não vejo problema em mulheres pregarem ou serem pastoras. Vemos, em uma das cartas paulinas, se não me engano uma endereçada à igreja de Corinto, em que Paulo refuta a ideia de mulheres falarem na igreja. Como muitos, também acredito que tal refutação é devido à cultura em que ele estava inserido. Contudo, nossa realidade é diferente.

      Como qualquer homem, uma mulher para ser pregadora, ou pastora, tem de ter, claramente esse dom evidente em sua vida. Como somos imperfeitos e vivemos num mundo imperfeito, criamos regras para que seguindo-nas, não nos percamos em desorganização, por isso acho também importante haver regras específicas pra esse tipo de ministério, assim como há para pastores, onde é comum em várias denominações um pastor só ter esse título se, por exemplo, for casado, pois assim poderá aconselhar também casais.

      Mas então poderemos ver então um delicado ponto: Em 1Timóteo 4,5, Paulo falando sobre os adjetivos que deve ter um aspirante ao episcopado: “Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)”; biblicamente, quem governa a casa é o homem, cabeça da família. Então surge a pergunta: Se a mulher não governa a casa, e sim o homem, poderá ela ser pastora de uma igreja?

      Ainda não me atrevo a responder tal indagação, mas ao meu ver, de acordo com a indagação é que, sendo uma mulher pastora, que seja esposa de um pastor.

      A Paz de Cristo!

  2. É… concordo com sua última frase: “(…) sendo uma mulher pastora, que seja esposa de um pastor.”
    Além de ser o homem o governante da casa (biblicamente), acredito que o tempo da mulher é diferente do tempo do homem. Ou seja, a mulher não deve governar sozinha. Na verdade, ela deve auxiliar. Essa é a função da mulher: auxiliadora.
    Então, para enfatizar, concordo com você: sendo uma mulher pastora, que seja esposa de um pastor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s